Arquivo de dezembro, 2006

Retrô Básica

Publicado: 28/12/2006 em Uncategorized
Não vá visitar James Brown sem ouvir TV on The Radio
Você passaria o ano-novo na praia sem pular ondinhas? Desejaria feliz 2007 na casa da sua vó sem comer lentinha, romã ou lascar 3 uvas dentro da champanhe? Então por que você acredita que eu manteria um blog sem fazer uma daquelas listas de retrospectiva de 2006?????
Vamos lá, é rápido e indolor. Quem me ajuda?

Melhores lances musicais de 2006


Ábuns

1. Return to cookie mountain, TV on The Radio.
Eu diria que, na verdade, é o melhor álbum da década. Uma espécie de evolução de Talking Heads mesclado a tudo o que de mais clássico temos no mundo. Ouvi por quatro meses seguidos e ainda não processei o suficiente pra contar pra vocês.

2. Whatever People Say I Am, That´s What I Am Not, Arctic Monkeys.
Juro que eu tentei resistir e só fui tomar conhecimento do bicho por meados de maio. Mas, quando menos percebi, tava dançando sentada na cadeira ao som desses moleques.

3. Wolfmother, Wolfmother
Como assim você não ouviu??????????? Led Zeppelin e BlackSabbath em uma noite de amor. Passa no blog do brother Giul (discoteclando.blogspot.com) que ele te dá a cartilha.

4. Broken Boy Soldiers, The Raconteurs.
Se você não gosta de White Stripes, deve ter adorado. Se você gosta, com certeza amou esse álbum, que responde à incansável pergunta: mas aquela baterista não era mesmo inútil?

5. Modern Times, Bob Dylan
Muito mais pela polêmica que causou no jornalismo musical brasileiro (um comentário desleixado do repórter Thiago Ney, da Ilustrada, desencadeou a ira dos titãs colunistas dos mais variados blogs e revistas) do que por qualquer outra coisa, já que Dylan é Dylan e não há o que comentar.

Shows
1. Franz Ferdinand
Só de ter voltado duas vezes ao Brasil, já merecia o pódio. O show é pura libido, com direito a arremesso de instrumentos e jam de batuque. Quem viu, viu, quem não viu… ô dó…

2. Os ingressos do U2
A performance de Bono, Larry Mullen Jr., Adam Clayton e The Edge todo mundo já conhecia do DVD Vertigo. Mas a lambada que os fãs levaram pra comprar o ingresso foi algo sem precedentes…

3. O pornô da Cicarelli
Não teve nada mais rock and roll. Coloca um AC/DC de fundo pra você ver se não vira clipe!

Rest in Peace

1.James Brown. Por uma coincidência dessas que a vida não explica, na Rolling Stone brazuca desse mês tem uma matéria bem bacana com o rei. Spike Lee já tá providenciando a biografia, mas tomara que ele reinvente a roda, porque senão vai acabar meio parecido com Ray.

2. Syd Barret. Credencial Tosca investe na leitura do livro sobre o Dark Side of The Moon e já, já conta tudo pra vocês. Mas adianta que Barret serviu pra, pelo menos, inspirar o mundo a ter mais piedade com os sem-parafuso – vide o próprio Dark Side e a Balada do Louco.

3. Rogério Duprat. Porque Tropicália sem Duprat seria como chupar bala com papel. E não sobraria Mutante pra contar história em Barbican.

E você, o que viu/ouviu/sentiu em 2006?

E pra 2007, o que espera? Eu tenho alguns palpites: The Who no Brasil, talvez; álbum dos Black Crowes e coisas novas do Franz e do Arctic pra gente saborear.

Heavy New Year para todos!

Reverência

Publicado: 21/12/2006 em Uncategorized

Bate o sino (?)/ pequenino(?)/ sino de Belém..

Credencial Tosca entra em recesso de Natal e aproveita pra agradecer a sua audiência, mesmo que invisível (eu sei, ninguém tem o hábito de deixar comentários, mas eu amo vocês mesmo assim), durante esses mais de quatro meses de convívio diário, em busca da notícia perfeita – ou do escracho da matéria alheia. Agradeço as idéias, as rock arts (alguém ppodia fazer uma especial pro Ano Novo, né?), os comentários e toda a sonzera proporcionada por vocês, queridos leitores. E para vocês!

Deixo de presente o link para duas singelas canções de Natal interpretadas pelos paraíbas do Zefirina Bomba.
www.tramavirtual.com.br/zefirina_bomba

Ho ho ho!

Em nome do "amor"

Publicado: 20/12/2006 em Uncategorized


Quer ver o “novo” vídeo do “novo” álbum dos Beatles? Álbum esse, que, aliás, deixou a EMI um pouco mais rica. “Love” é o campeão de vendas da gravadora no mundo em 2006, com 4 milhões de unidades vendidas.
O “YouTube” de “Within You Without You / Tomorrow Never Knows” é psicodélico. É bom. É Beatles? Talvez sim.
http://www.youtube.com/watch?v=cw41VqE0UjA

Quem era menina e adolescente dos anos 90 pode se lembrar de um seriado americano chamado “Minha Vida de Cão” (My So Called Life). Se você se enquadra nesse time, pode ser que também babasse no ator Jared Letto, que na trama interpretava um jovem meio mané mas liiiiiindo de morrer (quem conseguir se lembrar do nome da personagem dele ganha um bolinho). Se você não se enquadra na descrição acima, pode se lembrar do ator em filmes como “Réquiem para um Sonho”, “O Quarto do Pânico” ou “Clube da Luta”.

Mas, enfim, desde o tal seriado o ator já mostrava seu rock and roll (em todos os sentidos), que explora ao lado do seu irmão Shannon desde 2002 na banda 30 Seconds to Mars.A banda do ator-guitarrista-pãozinho acaba de lançar seu segundo álbum, “Beautiful Lie”. “Sempre me inspirei em bandas que expressam diferentes emoções e pintam retratos vívidos com a música, como U2, The Cure, Zeppelin, Pink Floyd”, anuncia o fofo. A gente dá um desconto na obviedade – se até Paris Hilton pode cantar, deixa o moçoilo fazer um barulho…

Feliz Natal com o Led Zeppelin

Deve ser difícil para uma banda de grande porte impor limites entre domínio público e coisas vendáveis que ainda podem gerar lucro. Daí seguem as intermináveis batalhas judiciais e as brigas que, na maioria das vezes, desagradam fãs e acabam por descontentar os artistas também. Quando o assunto é arte, cultura ou astrofísica, fica complicado quantificar o quanto desse todo abstrato pertence a mim ou a você. Em época de Creative Commons, então, nem se fala.

O site oficial do Led Zeppelin chega a cheirar desinfetante de tão clean e morto, logo, despista quem queira “adquirir” algo que não seja uma biografia, um wallpaper como esse aí de cima ou saber o que foi produzido até os anos 90. Por isso é que eu indico o ótimo http://www.led-zeppelin.com/, quaaaaase oficial e muito mais divertido. Façam o teste: tem um cartão de Natal bacanérrimo com John Bonham desejando Merry Xmas.

Em solo brazuca: Nossa sempre grande Elis Regina ganha homenagem especial hoje no Sesc Pompéia, com lançamento oficial do Box “Elis – Edição Especial”, uma exposição de fotos e materiais de acervo da moça e uma mesa-redonda sobre a sua obra com o filho e produtor João Marcello Bôscoli, o jornalista e técnico Zuza Homem de Mello, o jornalista Salomão Esper e o guitarrista Natan Marques. Com entrada franquíssima!

O inferno e as intenções

Publicado: 18/12/2006 em Uncategorized


Quando os Rolling Stones contrataram os Hell Angels para fazer a segurança de um de seus shows, que acabou em mortes e carimbo preto na passagem dos roqueiros para o céu, não imaginava que ia dar toda essa bagunça. Pois é, caro leitor, o inferno está cheio de boas intenções como essa, e a gente lista duas delas. Credencial Tosca brinca de Anjo da Morte e decide quem vai pro paraíso ou não:

Sobe – a iniciativa de uma galera independente que criou a revista Sonora. A intenção (ótima, por sinal) é fazer uma revista virtual apenas com bandas totalmente independentes, com entrevistas e matérias que ajudem os músicos nessa estrada pedregosa, como home studios, cachês e coisas do gênero. A publicação está em sua terceira edição e, apesar de virtual, tem cara de revista normal. Talvez esse seja o grande pecado, mas a galera ta começando e merece uma força. O elevador do blog aponta pra cima:
http://www.revistasonora.com/

Desce – Na contramão da maré tsunâmica da música via internet, a Som Livre relança pérolas de suas trilhas sonoras – em CD. Se o leitor quiser, pode comprar um compacto físico de um dos 26 títulos que reúnem músicas do programas de Chico Anísio, Jô Soares e trilhas que incluem raridades de Tim Maia pra cima. Mas se o leitor quiser também, pode pesquisar no orkut uma série de comunidades em que seus participantes se preocupam única e exclusivamente em postar links onde é possível baixar tudo isso de graça na internet. Sim, há comunidades dedicadas a trilhas da Globo! O tinhoso, nesse momento, gargalha, e a gente manda o elevador pro subsolo…

Perto do coração

Publicado: 15/12/2006 em Uncategorized


Não ia dar pra deixar passar. Credencial Tosca presta homenagem a Sivuca, nosso rei do acordeon, o rei do coração, de samba, trote e baião, do brasileirinho, do brasileirão, do pedreiro, do maestro, de cada campeão. Chore, leitor, como chorou cada nota-mestra nos dedos desse homenzarrão. Quem não te viu, não te vê mais, Sivuca, e eu choro por todos estes então.

Por essas coincidências que a vida não explica, eu ia justamente postar aqui hoje uma dica bem diferente, mas muito da fofa, enviada pela jornalista Débora Donadel, de um grupo chamado Acordeões em Sintonia, que se apresenta nesse fim de semana no Teatro da Memória, do Instituto Cultural Capobianco, em São Paulo.

O grupo tem integrantes de 18 a mais de 60 anos unidos pela paixão pelo acordeon (que, em uma de suas muitas traduções, mescla o significado de “afinação” e “coração”). A trupe interpreta clássicos sanfonísticos de países como Rússia, Itália, Estados Unidos, Argentina, Hungria e, é claro, Brasil.

Quem quiser mais informações pode entrar no site do Instituto e aproveita pra descobrir mais detalhes sobre as mostras de teatro e música de 2007, programadas pelo instituto. As inscrições estarão abertas em janeiro e prometem revelar bons talentos instrumentais do nosso país.
http://www.institutocapobianco.org.br/

Chora, Brasil!

Memórias selvagens

Publicado: 13/12/2006 em Uncategorized


O Instituto Memória Musical Brasileira está organizando uma discografia básica da música do nosso país de uma forma muito bacana: cada semana, eles colocam no site do instituto um álbum pra ser votado pelos próprios internautas, que decidem se aquele pacote de músicas de um determinado artista (que já se chamou vinil, depois CD e, agora, MP3) deve ser considerado em um tratado musical desse porte.

O mais bacana, no entanto, não é simplesmente a democracia de interferir em uma decisão dessas e, sim, de saber um pouco mais sobre as obras. Os caras não simplesmente jogam o disquinho lá pra você clicar num botão. Rola uma interferência com opiniões de alguns bam-bam-bans do meio, além do parecer do Instituto, claro (objetividade jornalística é que nem chifre, caro leitor, colocaram na sua cabeça e você é que não tirou mais) e a oportunidade de ouvir as canções. Ou seja: há a intenção de um voto consciente.

“Secos & Molhados”, “Amoroso” e “Samba Esquema Novo” já foram aprovados. O “au concour” foi “Elizeth Cardoso/Zimbo Trio/Jacob do Bandolim/Época de Ouro”, com 100% de votos sim (não tem nem graça). E, por enquanto, o único que ficou de fora foi “Selvagem”, dos Paralamas, com mais de 61% dos votos contra, no mesmo ano em que esse e outros álbuns do rock brasileiro oitentista completam 20 anos de idade (e são incensados pela mídia em geral).

Instala-se aí a polêmica, talvez? O mundo pop definitivamente precisa ser desvinculado dos grandes clássicos? Ou seria melhor criar uma discoteca básica pop separada de uma memória mais apurada? Aliás, será que dessa vez o Brasil vai conseguir ter uma memória?

Quer votar? Essa semana, quem concorre é “Nervos de Aço” (1973), Paulinho da Viola:http://www.jornalmusical.com.br/detalheDiscografia.asp?iidMidia=5425