Nossa linda juventude

Publicado: 11/02/2007 em Uncategorized

E o carro nem era deles…

– Ah, a gente sabe tanto quanto vocês da imprensa. Como eles são menores de idade, a tia da baterista foi junto, mas os pais que ficaram só sabem das novidades pelo Orkut – explicava-me um simpático pai. Não era pra menos: o filho dele estava em Londres, mais precisamente nos estúdios da BBC, cotado entre as seis bandas finalistas do concurso “The Next Big Thing”, que elenca as bandas que podem estourar no próximo ano.
O grupo em questão era o Sweet Cherry Fury, uma turma de meninas e um menino de Santos que, em menos de um ano, descobriu no que dá colocar suas músicas na internet. Eles participaram do programa de TV do Tramavirtual e gravaram uma música em um estúdio profissa, parte de um dos quadros da atração. Com essa mesma música, venceram o concurso de bandas No Capricho e, sem querer querendo, inscreveram-se no The Next Big Thing, da BBC. Deu no que deu.
Eu tinha uma semana pra fazer a matéria e vários textos pipocavam sobre os garotos em todos os veículos possíveis e imagináveis. Mas eles, mesmo, estavam ainda na terra da Rainha, incomunicáveis, salvo um msn rápido aqui e acolá. Enfim, pegaram terceiro lugar e um avião de volta. Não deu tempo de dormir direito: sacudi alguns deles da cama logo que bateu uma hora razoável do domingo – a do almoço.
A baixista Mariana preferiu conversar comigo dormindo mesmo, embora eu insistisse pra ligar mais tarde. Decidi falar também com o guitarrista Guilherme, o filho do simpático pai já mencionado. Acordado, embora ainda embaralhado pelo fuso horário, Guilherme tinha a ansiedade e a presteza nas respostas típicas de quem passa por um turbilhão que eu vou esmiuçar pra você (e a entrevista rendeu melhor do que com muito big guy do rock por aí).
Imagine-se no colegial, com sua banda de garagem, fazendo fotos típicas de bandas e batendo papo pelo fotolog com seus amigos, fãs do seu som. Corte a cena e desembarque em Londres, veja a produção da BBC dizendo que sua banda “rocks”e o James Brown e a Courtney Love concordando. De repente, do nada, Gary Powell, o cara que tocava no Libertines, uma banda que você adora, fica seu amigo de criancinha.
Durma de novo, acorde no Brasil e receba ligações da Folha, do Estadão, da Globo, da Rolling Stone e da Bizz, tentando algum furo, perguntando coisas estapafúrdias. Aquelas fotos, que você tirou de zoeira com seus amigos, de uma hora para outra estão estampadas nos jornais. Sacou?
Foi nessa velocidade que o Sweet Cherry Fury, com um som que mistura uma certa crueza punk e uma pitada eletrônica pós-bandas que resgataram os anos 80, viu as coisas acontecerem. E eles nem gravaram um álbum ainda.
O resto da história você confere na Bizz desse mês.
comentários
  1. Tat disse:

    … mas eu prefiro ficar com o furo da Ana no credencial, mesmo!hauhauaGarota foda!

  2. Fran Micheli disse:

    Aaaah ana…. eu tb adoro seus textos, são demais! E eu já assisti Miss Sunshine foi realmente uma pérola no meio da temporada ruim de cinema..AMEI ESSE FILME!!!!!!!!!!! Com certeza, vou indicá-lo na seção de filmes da revista!!Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s