A hora da estrela

Publicado: 20/09/2007 em Uncategorized

Muitos álbuns e bandas escorregaram para a história tentando se parecer com um ídolo e acabaram por se tornar ícones de luz própria. Para citar dois grandes exemplos, “Dark Side of The Moon”, do Pink Floyd, e “OK Computer”, do Radiohead, foram projetados com base na inspiração de “Sgt Pepper´s”, dos Beatles. Hoje, os três fazem parte de qualquer discoteca básica que se preze.

Banda boa também é assim. Você enxerga uma influência aqui, um rasgo de seda pro ídolo ali mas, no fundo, o que conquista é realmente uma pegada nova e nobre. E, na espera de um cover de Johnny Cash/Bob Dylan que se preze, ganhei uma pauta bacana anteontem ao ver o show da banda Vanguart no Studio SP.

Um tanto badalados pela crítica e com holofotes expandidos por estarem na escalação do Tim Festival, os cuiabanos definitivamente não decepcionam. Muito além de uma performance competente e músicas deliciosas, o Vanguart sabe fazer uso profissional de técnica e equipamentos e extrair o que há de melhor dentro das possibilidades. Mais que correto, mais que profissa, o som do Vanguart é bom.

A definição por natureza genérica jornalística que se dá ao grupo é uma mistura de folk e rock. Nada mais enganoso. Apesar da dose generosa de country despejada no palco (e a música “Hey Ho Silver” não nos deixa mentir), impossível não notar transmutações de guitarras típicas das bandas dos anos 2000, uma salpicada de stoner rock e harmonia belas presentes em qualquer boa canção pop.

Mas difícil mesmo é não relacionar arranjos e vocais dos cuiabanos ao Radiohead. Hélio Flanders, saudado como a boa voz do rock nacional atual, segura uma nota como o mestre Yorke ensinou. A felicidade, no entanto, o trai, o que garante rumos originais para a banda.

A comparação ao Radiohead não é descoberta minha, mas o curioso é que realmente não parece algo intencional no rol de influências do grupo. Cheira mais a um feliz acidente que, se em um primeiro momento pode ofuscar um brilho nascente por conta do paralelo, no outro pode servir para que a banda se aprofunde no auto-conhecimento musical. E se expanda, como qualquer boa estrela.

Para quem se aventura nas boas novas do rock brazuca, passa lá no TramaVirtual dos caras e confere por conta própria:
http://tramavirtual.uol.com.br/artista.jsp?id=7840

Anúncios
comentários
  1. Giul Martins disse:

    eu já tava com muita vontade de ouvir essa vanguarda… daí uma amiga me disse ‘se tiver que ouvir um album brasileiro este ano tem que ser o vanguard’… deu mais vontade ainda com este post!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s